domingo, 25 de abril de 2010

EVANGELHO DE MATEUS, CAPÍTULO 1


1
Livro da geração de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abraão.
2 Abraão gerou a Isaque; e Isaque gerou a Jacó; e Jacó gerou a Judá e a seus irmãos;
3 E Judá gerou, de Tamar, a Perez e a Zerá; e Perez gerou a Esrom; e Esrom gerou a Arão;
4 E Arão gerou a Aminadabe; e Aminadabe gerou a Naassom; e Naassom gerou a Salmom;
5 E Salmom gerou, de Raabe, a Boaz; e Boaz gerou de Rute a Obede; e Obede gerou a Jessé;
6 E Jessé gerou ao rei Davi; e o rei Davi gerou a Salomão da que foi mulher de Urias.
7 E Salomão gerou a Roboão; e Roboão gerou a Abias; e Abias gerou a Asa;
8 E Asa gerou a Josafá; e Josafá gerou a Jorão; e Jorão gerou a Uzias;
9 E Uzias gerou a Jotão; e Jotão gerou a Acaz; e Acaz gerou a Ezequias;
10 E Ezequias gerou a Manassés; e Manassés gerou a Amom; e Amom gerou a Josias;
11 E Josias gerou a Jeconias e a seus irmãos na deportação para babilônia.
12 E, depois da deportação para a babilônia, Jeconias gerou a Salatiel; e Salatiel gerou a Zorobabel;
13 E Zorobabel gerou a Abiúde; e Abiúde gerou a Eliaquim; e Eliaquim gerou a Azor;
14 E Azor gerou a Sadoque; e Sadoque gerou a Aquim; e Aquim gerou a Eliúde;
15 E Eliúde gerou a Eleázar; e Eleázar gerou a Matã; e Matã gerou a Jacó;
16 E Jacó gerou a José, marido de Maria, da qual nasceu JESUS, que se chama o Cristo.
17 De sorte que todas as gerações, desde Abraão até Davi, são catorze gerações; e desde Davi até a deportação para a babilônia, catorze gerações; e desde a deportação para a babilônia até Cristo, catorze gerações.
18 Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter concebido do Espírito Santo.
19 Então José, seu marido, como era justo, e a não queria infamar, intentou deixá-la secretamente.
20 E, projetando ele isto, eis que em sonho lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber a Maria, tua mulher, porque o que nela está gerado é do Espírito Santo;
21 E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.
22 Tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor, pelo profeta, que diz;
23 Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E chamá-lo-ão pelo nome de EMANUEL, Que traduzido é: Deus conosco.
24 E José, despertando do sono, fez como o anjo do Senhor lhe ordenara, e recebeu a sua mulher;

E não a conheceu até que deu à luz seu filho, o primogênito; e pôs-lhe por nome Jesus.

Comentário

Versículos 1 a 17

Os primeiros 17 versículos do capitulo 1 do Evangelho de Mateus tratam da Genealogia de Jesus, suas origens familiares terrenas. Era o Céu descendo à Terra, para que os homens da Terra possam, um dia, elevar-se ao Céu. O Filho de Deus veio fazendo-se homem, para que os homens possam tornar-se filhos de Deus.

Percebe-se que há divergências entre os Evangelistas Mateus e Lucas neste ponto da narrativa. Mas são sem importância para a fé, tanto que Paulo aconselhou a Timóteo que não se ocupasse com a questão da Genealogia (1ª Epístola a Timóteo, I, 4 e 5).

De fato, não importa de quem Jesus era parente ou não, mas sim que Ele desceu à Terra para ensinar à humanidade um novo código moral, uma nova maneira de viver a vida e de caminhar rumo a Deus, deixando de lado os vícios e erros comuns a nós, homens.

Para o Espiritismo, Jesus é nosso irmão, espírito imortal como nós, porém perfeito e imaculado, protetor e governador da Terra. É estranho e anterior às gerações humanas que têm habitado nosso mundo.

Há quem acredite que Jesus nunca encarnou como nós, mas que apareceu aos homens em um "corpo fluídico", o que explicaria alguns dos "milagres" que Jesus fez entre os homens, como caminhar sobre as águas, escapar à multidão que queria arremessá-Lo do monte (Lucas, IV, 22-30), entre outros exemplos. Esta compreensão do corpo sutil de Jesus foi divulgada entre nós por Jean-Baptiste Roustaing, contemporâneo de Allan Kardec, e por Antônio Luiz Sayão, que publicou livro compilando as quatro volumosas obras de Roustaing sobre os Evangelhos.

Para outros, que não aceitam a hipótese de Roustaing, Jesus veio à Terra encarnando como homem comum, passando por processo de espécie de "embrutecimento", de redução de sua majestosa luz, para poder encarnar, se materializar no mundo físico em que vivemos. Teria agido assim para dar melhor o exemplo que deixou à humanidade. E teria operado os milagres com seu infinito conhecimento sobre os meandros da matéria, conseguindo, assim, caminhar sobre as águas e operar outros milagres que tanto impressionaram as pessoas naquela época e ainda hoje impressionam seus discípulos.

Talvez esta discussão também não seja importante, importando mais os exemplos que Jesus veio nos trazer, sua lição de amor e fraternidade.

Versículos 18 a 25

Neste trecho do Evangelho de Mateus vem a notícia de que Jesus foi concebido por obra do Espírito Santo, sendo Maria virgem, intocada. José pretendeu abandoná-la, mas um anjo do Senhor aparece a José, em sonho, e lhe revela quem era o filho de Maria, que viria libertar o seu povo dos pecados, como dito pelo profeta Isaías. José acordou do sonho e aceitou Maria como esposa, dando ela luz a um bebê a quem deu o nome de Jesus.

Maria era espírito perfeito, assim como José, porém este menos elevado do que Maria, ambos purificados, mas não tão evoluídos como Jesus. Teriam vindo eles para auxiliar o Mestre Jesus em sua missão entre os homens.

Naquela época, vivendo sob as leis de Moisés e tradições dos hebreus, José aceitou como seu um filho que não gerou. Maria estava grávida e nunca tivera "trato carnal" com José ou com quaquer um. Por certo, ficou ciente de sua missão divina, após os esclarecimentos do "anjo", pois até mesmo em nossos modernos dias é difícil alguém acolher o filho de outrém. Que se dirá naquela época de rígidos costumes, em que era usual apedrejar-se mulheres ditas pecadoras.

Mas Jesus veio e teve José por pai e Maria por mãe. A missão foi cumprida. O Senhor estava na Terra e não tardaria a ensinar aos homens as lições de sua Doutrina de amor e de vida eterna.

Jesus nos deu muito. Ensinou a caridade através de seus exemplos. É um "anjo" altíssimo, que vive nos mais belos e puros círculos da vida e abriu mão de tudo, por um tempo, para descer até nossa grosseira vida carnal, ao nosso mundo cheio de pecadores, que ainda somos, para nos dar exemplos e ensinar o que devemos fazer para ir até o Nosso Pai, se submetendo às nossas ofensas e aos martírios incontáveis que Lhe causamos, mas mantendo o Seu amor por nós e a permanente missão de nos salvar de nossos pecados.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget